Click on the slide!

Eu quero falar sobre o Brasil bom, para minorar o desgosto deste Brasil da corrupção, do desmando e das palavras vazias de uma campanha eleitoral cheia de baixarias e misérias. Porque é este Brasil bom que nos aponta o caminho, que nos informa que não vivemos apenas de vergonhas.

Sim, eu tenho vergonha desse lamaçal que estendem diante de nós, tentando nos arrastar para dentro dele, nos convencer que é assim mesmo a nossa vida.

 

Olhem e ouçam esta maravilhosa e espontânea ação de um grupo de brasileiros nas praias de Angra, no Rio de Janeiro, ao se depararem com o sofrimento de cerca de 30 golfinhos encalhados:

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=0_9Xp5umegE

Olhem e ouçam, na metade final do vídeo, esta maravilhosamente rápida ação de um grupo de brasileiros em Curitiba, apagando com extintores de carros o incêndio num avião que acabara de cair, socorrendo as vítimas e impedindo um mal maior:

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=SzXlrabiBc8

Finalmente, olhem e ouçam esta maravilha de síntese de duas clássicas canções de despedida, compostas em regiões completamente diferentes e transformadas numa pátria musical única pela genialidade de Yamandu Costa e Dominguinhos.

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=xd-WhE1uX3Q

Este Brasil é real e verdadeiro. Não tem retoques nem maquiagem, nem palavras de caso pensado, nem silêncios cúmplices. Não tem dedo de marqueteiro. Não se importa com as diferenças – antes, valoriza. Não se importa se a religião manda salvar ou não os animais – faz o que manda sua compaixão. Não pergunta quem está ou de quem é o avião, não espera a autoridade chegar – vai, e salva.

Hoje, quando o fundamentalismo, religioso ou político, ameaça dividir o país em bandos, é bom lembrar que existe uma alma brasileira que se expressa nos atos das pessoas, não nos discursos. E que ela é digna e bela.

Ana Monteiro Diniz (http://amdiniz.blogspot.com.br). Domingo, 14 de setemro de 2014. Escritora e jornalista, nasceu em Oriximiná.