Cursos serão implantados em Alenquer, Itaituba, Juruti, Monte Alegre, Óbidos e Oriximiná. Acordo prevê a implantação dos cursos ainda este ano.

Resultado de imagem para ufopa

Por G1 Santarém, 05/04/2017

Um acordo firmado entre a Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) e o Ministério da Educação (MEC), por meio da Diretoria de Desenvolvimento da Rede IFES (Difes/SESu/MEC), torna possível a implantação de cursos regulares de graduação nos municípios de Alenquer, Itaituba, Juruti, Monte Alegre, Óbidos e Oriximiná a partir do segundo semestre de 2017.

De acordo com Ufopa, os cursos deverão ser implantados ainda este ano. “Estamos nos preparando, já numa última etapa, junto à Secretaria de Regulação e Avaliação, que vai nos conceder a autorização final. Porém, já estamos nos preparando também para chamar os professores e preparar um processo seletivo para o ingresso de alunos no segundo semestre de 2017”, declarou a reitora, Raimunda Monteiro.

O projeto de criação da Ufopa previa a implantação de cursos regulares em municípios com mais de 50 mil habitantes. A reitora destacou as dificuldades para implantar cursos no interior da Amazônia. “Neste contexto de crise, a implantação desses cursos é uma vitória de todos nós. Importante nesse processo foi a mobilização da sociedade local, incluindo prefeitos e vereadores, que estiveram conosco participando das audiências públicas e compreendendo as nossas dificuldades”, finalizou Raimunda.

A repactuação do campus da universidade foi discutida em março desde ano durante uma reunião em Brasília, da qual participaram o titular da Diretoria de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior - Difes, Mauro Luiz Rabelo, e a reitora da Ufopa, Raimunda Monteiro.

Pactuação

Na pactuação efetuada em 2010, ficou estabelecido que a Ufopa ofertaria 2 mil vagas anuais em suas unidades, incluindo Santarém e os municípios fora da sede. Em contrapartida, o Ministério da Educação liberaria 518 vagas de cargo docente, mais 249 de técnicos administrativos de nível superior e ainda 373 para técnicos administrativos de nível médio, “as quais foram integralmente autorizadas”, conforme informou Rabelo.

A Resolução nº 160, de 25 de agosto de 2016, do Conselho Superior Universitário (Consun) estabelece a criação de oito cursos nos seis campi da Ufopa. A Resolução considerou “as condições concretas da instituição”, bem como “as deliberações resultantes das audiências públicas realizadas nos municípios de abrangência da universidade”.

Bacharelados

Em Juruti serão criados dois cursos, em nível de bacharelado, com 40 vagas cada um: Engenharia de Minas e Agronomia. Em Oriximiná também serão inaugurados dois cursos com 40 vagas cada um: Bacharelado em Sistemas de Informação e Bacharelado em Ciências Biológicas da Conservação.

Óbidos receberá a Licenciatura em Pedagogia (40 vagas). O município de Alenquer foi contemplado com o Bacharelado em Administração (40 vagas). Em Monte Alegre será iniciado o Bacharelado em Engenharia de Aquicultura (40 vagas). Já em Itaituba será instaurado o Bacharelado em Engenharia Civil (40 vagas).

De acordo com informações da Comissão Permanente de Processo Seletivos (CPPS), da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (Proen), que está trabalhando para o reconhecimento dos cursos, os editais para ingresso de alunos devem ser lançados já no segundo semestre de 2017. O processo de contratação de professores, cuja responsabilidade é da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progep), já foi iniciado.

*Colaborou Lenne Santos, da Ufopa em Santarém