Trecho em frente a praça de Santo Antônio, em 1982. Vista da sede da Prefeitura na época e, ao fundo, a torre da Telepará (Foto: Marly Harada)

O dia 23 de setembro de 1985 registrou uma das grandes tragédias ocorridas em Oriximiná. Por volta das 15:30 horas desse dia um forte vendaval atingiu a cidade e derrubou a torre de telefonia da TELEPARÁ, uma estrutura de aço com 130 metros de altura, construída em 1979. A Telecomunicações do Pará S/A – TELEPARÁ, foi a empresa operadora de telefonia do grupo Telebras no estado do Pará até sua privatização em 1998, quando as operações na telefonia fixa foram absorvidas pela Telemar, atual Oi.

Vista da sede da Telepará e da torre. Foto: Arquivo IBGE Nacional - Oriximiná

No desabamento a torre atingiu e destruiu a agência do Banco do Brasil, que ficava vizinha à Telepará, no terreno que antigamente foi o campo de futebol do CRO – Centro Recreativo Oriximinaense, pelo lado da Rua Sete de Setembro. Também atingiu e danificou parcialmente a Escola de Primeiro Grau “Lameira Bittencourt”, situada em frente ao campo do CRO, pela Rua Barão do Rio Branco.

Queda da “Torre da Telepará” em Oriximiná (Fotos: Jornal Diário do Pará)

O desabamento da torre fez três vítimas fatais (dois funcionários do Banco do Brasil e um cliente que estava na unidade bancária) e deixou nove feridos gravemente.

As vítimas fatais foram Gilberto Rodrigues, Dimas Lázaro da Silva Barbosa e Carlos Alberto da Costa Feijão. Dentre os feridos, três funcionários do Banco do Brasil e dois funcionários do IBDF ficaram gravemente feridos tiveram de ser transferidos para Belém e foram internados na Clínica dos Acidentados, no Largo de Nazaré. Entre os acidentados estava o engenheiro agrônomo Alberto Guerreiro de Carvalho, então coordenador da Reserva Biológica do Rio Trombetas. Os demais feridos foram atendidos no Hospital do SESP, em Oriximiná.

Queda da “Torre da Telepará” em Oriximiná (Fotos: Jornal Diário do Pará)

Naquela tarde as aulas do “Lameira Bittencourt” haviam sido canceladas e os alunos liberados por conta da visita do então governador do estado Jader Barbalho, junto com o Senador Hélio Gueiros. Assim, quando a torre desabou, o prédio da escola estava vazio, as seiscentas crianças que estudavam ali no período da tarde se salvaram, evitando uma tragédia maior.

Neste dia 23 de setembro de 2020, portanto, a queda da torre da TELEPARÁ completou 35 anos.

Fonte: Jornal Diário do Pará, edição de 25/09/1985; https://vejoinorixi.com.br/noticias (Jackson Vieira de Azevedo e Patrício Coimbra).